quarta-feira, 20 de outubro de 2010

Eu e vc... Por mim... Parte II

Você sempre se manteve imparcial. Você sempre tão calmo e seguro de si. E eu, querendo me segurar em você, mas não sabia como...
Falávamos sobre muitas coisas, como sempre mas sem as brincadeiras de antes. E isso doeu. Por que era tão legal. Aí me toquei de que eram essas brincadeiras que davam pistas e a tapada aqui não entendeu (ou não quis entender):
- Ei, tu ta demorando ai pq tu deve ta tc com alguma mulher né? Me esqueceu.,..snif..
- Pára de graça! No momento, só tenho olhos para uma pequenina mas ela vive me dando fora.
- Vai ver ela é muito chata. Não esquenta, vc vai achar alguém legal...
Conversas assim, que sem querer eu ficava esperando que ele as fizesse de novo, pra eu saber que tava tudo bem entre a gnt. Mas não.
Por um tempo, pensei que estivesse brincando com ele. Toda mulher gosta de ser cortejada e tals. Mas não era isso. Eu esperava que SOMENTE ele falasse isso. E entendi o que tava sentindo.
Marcamos de nos ver.
Mas não deu certo. Não pude ir. Mas catei as moedas em casa, comprei um cartao telefonico e liguei pra avisar. Ele já estava lá.
- Fifo, não dá pra eu ir, desculpa!! O papai pediu pra eu ficar em casa, ta? Mas a gnt marca outra data de certeza.
- O que? ta.. não to entendendo nada, ellen? ellen? ellen? ellen?...
- Fifo? Ta me escutando?
- Quê?
- Oi, mulher. Já entendi, certo. Tchau.
- Tchauzinho.
Depois disso, a gnt marcou na praça do forte pra se ver. Cheguei atrasada (a historia do banho de donzela, do dilema da roupa). Marcamos as 18h, cheguei as 20h --'
Porém, cade ele? Corri para o orelhao:
- Eu vou te matar, felipe!! Onde tu ta?
- Calma, mulher. eu to aqui na praça e tu?
- Eu também, mas vim no orelhao te ligar. Vou pra la onde a gnt marcou. Vai lá e nao demora!
- Ta, to indo.
Eu fiquei sentada e de repente ele chegou. Tímido. Aquela carinha de menino. Ops. carinha de menino... Enfim, a gnt iniciou uma conversa, mas meu nervosismo era tanto que me fez falar o instante todo enquanto ele só me olhava e sorria.
Numa hora, ele toca de leve a minha perna e diz:
- Ellen, vamos tomar sorvete?
Eu olhei pra ele e pensei:
"Sorvete? Ele passa a mão na minha perna e me convida pra tomar sorvete? Sei não... isso me deu medo... Vai que é uma desculpa pra me arrastar pra um outro canto?"
- Escuta, felipe. Tipo... Ta tarde já. me deixa na parada?
Ele todo sem graça, sorri timidamente e concorda com a cabeça.
Ao chegarmos lá, esperei uma moto e no instante que ele parou uma pra mim, lhe dei um beijo no rosto e disse:
- A gente ainda vai se ver bastante, fifo!
"As coisas haviam mudado, mas somente eu sabia as mudanças que realmente teriam significado pra mim. E aprendi com elas e as aceitei de bom grado." :D
To be continued...

terça-feira, 19 de outubro de 2010

Eu e você... Por mim... Parte I

Pensando em várias coisas e ao mesmo tempo em nada, por que não existe uma ordem para que tudo faça sentido, lembrei como tudo começou.
Um começo estranho, um encontro até então impossível, mas já um sentimento existente e forte.
Tentando desvendar o que era aquilo que se instalava em meu peito naquele instante, fui atrás de convincentes definições.
- Amizade... Não, não. É mais que isso...
- Paixão! É. Surgiu de repente. Mas, eu não quero só isso...
- Amor... Não é muito cedo? Talvez não...
A primeira vez que nos falamos, tava te enchendo o saco pelo msn. Todo dia eu entrava e puxava assunto e você nem aí pras minhas "investidas" - se é que podemos chamar de investidas conversas como: Eaí, beleza? Poxa, fala comigo! Ta com raiva de mim? Olha, se não quiser falar, me avisa que não te perturbo mais...- e de repente surge uma resposta:
- Calma, mulher. Eu tava jogando...
E depois disso, foram dias e mais dias de conversas, sem hora definida.
Entrava no msn, mal aparecia o símbolo de on line e você já começava os assuntos do dia. Ou então, meu msn ficava aberto esperando a hora em que vc surgiria. --'
No início, eu me senti muito bem em ter um amigo que conversava, ria das minhas piadas sem graça e ouvia meus lamentos. E adorava quando vc dizia tantas coisas sobre você, ou quando você tava chateado e eu te perturbava até você rir; mesmo por que, por mais superficial que uma tela do computador possa ser, de tantas horas conversando aprendi a te conhecer e mesmo de longe, eu sei que você aprendeu muito sobre mim.
Porém, algumas coisas ainda me perturbavam: temos uma diferença que até então me deixava preocupada. E isso, naquele instante foi o suficiente pra eu deixar o medo e a insegurança me dominarem.
E neste momento, quando eu achava que tudo não passava de um mero sentimento; apesar de saber que em mim, algo muito forte estava se espalhando por meus pensamentos e pela minha vida e em você, a mudança que tudo isso te causou, eu te machuquei.
Acho que, não foi por querer, mas disse justamente o que eu não sabia e o que vc não queria escutar.
E, a partir daí veio o baque mais forte em mim:
A possibilidade de perder alguém que me fazia tão bem, me deixava feliz e me confortava: Você.
Eu teria aceitado se você se recusasse a falar comigo ou me evitado, ou se fosse indiferente (isso talvez não... Indiferença é muito ruim... pior que o ódio...).
Mas, mesmo te fazendo sofrer e te machucando você ainda aceitava minhas tentativas de conversas e aproximação. Só pra não me sentir sozinha. Por mim.
Você, apesar de tudo, me deu uma chance...
E foi ai que percebi a besteira que tinha cometido: não aceitar o fato de que podia ser feliz ao lado de uma pessoa que fazia tão bem, simplesmente por que temos diferenças.
Neste momento, eu chorei. Fazia tempo que as lágrimas não percorriam meus olhos. Surgidas no coração, me fizeram entender o que sentia.
Chorei por alguém que eu mal conhecia, mas me entendia tão bem. Chorei por alguém que nunca vi, nem toquei, mas que já tinha tocado meu coração. E decidi que não desistiria tão cedo..
To be continued...

quinta-feira, 14 de outubro de 2010

Certos detalhes fazem a diferença...

Saio do trabalho como se ainda permanecesse lá: pensando nisso, arrumar os documentos pr'aquilo, não esquecer de entregar... ... o que quer que seja :S
E quando dou por mim, me deparo com a triste realidade:
- Cheguei em casa... e agora?
Sabe aquelas cenas em que você tem que passar por um corredor estreito sem que os espíritos grudem em você?
Pois é.
Só que em vez de espíritos, são sentimentos...
- Mais um final de semana chegando, e eu aqui sem te ver... !!??! Seria isso uma música?.. Acho que já a ouvi antes...
Entro, corro pro quarto, me jogo na cama uns minutos e fico olhando o telefone:
- Será que ele já chegou? Se chegou, por que ainda nao ligou? Terá acontecido alguma coisa? Meu Deus! Por que demora?...
E nisso, vão minutos e mais minutos passando...
Me espanto, e percebo que não adianta ficarsofrendo por antecipação.
Vou pro banheiro e tomo aquele banho típico de toda donzela:
- Lavar o cabelo com os shampoos pra limpeza, pra restauraçao e outro pra hidrataçao, um condicionador para hidrataçao profunda, um sabonete para uma pele de pêssego..
- Ops!!! Algo nao esta certo aqui, deixa eu ver... Caramba, perai... Ok, tudo bem :)
Saio com a sensação de que deixei metade de mim escorrendo pelo ralo... --'
Porém leve e limpinha, praticamente "insossa", mas tudo bem. Pelo menos esqueci (ou tentei) de pensar nessa angustia em te esperar...
Chego no quarto e novamente retorno a cama.
- Ok! Já se passaram quase 3h e ele nem mandou uma msg. Já to ficando preocupada! E agora? Será que ligo?
- Não, vai que ele ta ocupado com alguma coisa...
... É deve ser isso. :/
Abro o guarda roupa e me deparo com o dilema mais comum pra gente, meninas:
- Que roupa?
- Hum....vou ficar em casa, entao posso vestir qualquer trapo. Mas... qual? E nisso vão horas... e horas..
- Ok. Ta bom essa (a mesma que vc tirou e colocou e tirou e colocou no corpo tantas vezes antes de se decidir...). Afinal de contas, seu princípe encantado permaneceu ao seu lado mesmo depois de você ter virado a gata borralheira, certo? E outra, ele não vai estar com você agora...
- Ok, consciencia, se a intençao era ajudar, nao ta conseguindo! Vê se some >P Ao ver em que dimensao realmente estou, a incoveniente realidade surge:
- Meu deus! Já é tarde. Acho que já posso ligar...
- Alô? Vida? Oi, amor! Tudo bem com vc?
- Sim, amor. Eu to bem e vc?
- Tbm... tava preocupada, vc nao ligou, pensei que tinha acontecido alguma coisa...
- Não, não, amor. Eu tava terminando um trabalho.
Me desculpa, ta?
- Tudo bem..Ah, vc nem sabe o que aconteceu...
... ...
- Te amo, não esquece, ta? Nunca! Durma bem.
- Ok, pequenina. Você é muito importante pra mim, ta? Te amo e dorme bem.
Ele ta bem, ainda bem. Mas... e eu?

"Bem, consegui perceber que meros detalhes do nosso cotidiano são suficientes pra fazer com que as inseguranças e medos se afastem e nos permitam curtir melhor a pessoa denominada EU.
Não significa que parei de pensar nele/nela. Mas que, precisamos controlar a impulsividade e a ansiedade quando se trata do outro.
Nessas horas, surgem pensamentos tristes, depressivos e irados, mas só cabe a gente termos a
tranquilidade para aprendermos a lidar com eles."

Você me faz tão bem... e como!

Uma música do Detonautas que marca esse instante sem você... É ruim querer estar ao seu lado e saber que não posso. O pior é saber que é por um bom motivo. Por que aí, não posso ficar triste nem chateada. :/ Daria tudo por um instante, agora, com vc... Amo-te, Felipe.

Você me faz tão bem

Quando eu me perco é quando eu te encontro
Quando eu me solto, seus olhos me veem
Quando eu me iludo é quando eu te esqueço
Quando eu te tenho, eu me sinto tão bem

Você me fez sentir de novo
O que eu já não me importava mais
Você me faz tão bem
Você me faz, você me faz tão bem

Quando eu te invado de silêncio
Você conforta a minha dor com atenção
E quando eu durmo no seu colo
Você me faz sentir de novo o que eu já não sentia mais

Você me faz tão bem
Você me faz, você me faz tão bem
Você me faz, você me faz tão bem
Você me faz, você me faz tão bem

Não tenha medo
Não tenha medo desse amor
Não faz sentido
Não faz sentido não mudar esse amor

Uma música que só me lembra a sensação que mantém cada vez mais aceso o sentimento que tenho por você, amor. Minha paz, meu amor. Confesso: Quero você! Mas vou esperar... ^-^