quarta-feira, 21 de abril de 2010

Ah, como são puros os versos surgidos no acaso...


Diante do outro texto, este poema (acho) parece ter surgido da minha veia romântica...rs*
Parte de mim que se diz poética manisfestasse quando o tempo resolve parar,
e as palavras e pensamentos desejam ser projetados de forma escrita em algum lugar..
Espero que gostem..

-
Procurei por aquilo que justificasse meus sorrisos e minhas lágrimas
Andei por caminhos ainda desconhecidos,
Cheguei onde muitos estiveram, mas não souberam voltar
E lá, onde parece existir o nada, o vazio... Te achei.

Este vazio que cobre cada pedacinho de mim.
Este vazio que traquiliza e acalma meus pensamentos
Fui vítima de suas faces e suas palavras,
Fui trazida para uma dimensão onde o tempo não existe

Senti a dor da saudade, odiei a sua ausência
Tirei de mim a verdade daquele momento
Quis devolver tudo o que seu senti
E, ainda sim
Teria a certeza que pediria tudo de volta.

Dediquei este momento para quando você voltasse
E trouxesse todas sensações que tivemos
Queria mais que um acaso, para tê-lo comigo

Palavras de agora, com pedaços de você
Escrevi cada instante no vento que te trouxe
Soprei os teus carinho para o horizonte
E desejei tê-los de volta, no segundo que se foram

Mesmo que houvessem mil e um motivos pra te odiar
No fim... te amaria pelo simples fato de existir.
-
É isto ;)
Abraços,

3 comentários:

billynho podre disse...

isso foi uma indireta?

;D

Ellen Rbr Kina disse...

será?
rsrs :}
;*

Paralelos do Cotidiano disse...

Olá Ellen :) obrigada pela visita. Volte sempre pra trocarmos idéias.

Camila Karina